domingo, 16 de julho de 2017

Vargem Grande de Ontem: A vida de Jether Joran Coelho Martins...

Jether Joran Coelho Martins.
Por Blog do Alpanir Mesquita.

Em mais uma edição da coluna "Vargem Grande de Ontem", que irá ao ar na manhã de todos os domingos e que foi idealizada pelo Titular do Blog, vamos contar um pouco da história de vida do escritor, poeta, sindicalista, bancário e militante político vargem-grandense Jether Joran Coelho Martins.

Jether Joran é filho do casal Antenor Bezerra Martins e Benita Iracy Coelho Martins. Tem nas veias o sangue poético do avô paterno, que também era poeta e foi um dos seus principais influenciadores, e a sensibilidade para compor seus trabalhos do avô materno, que era músico. Nasceu em Vargem Grande, cidade ao qual amou até seus últimos dias de vida. 

Iniciou sua vida estudantil no Jardim de Infância Chapeuzinho Vermelho e concluiu o ginásio na Escola Professor Hemetério Leitão. Em seguida mudou-se para São Luís e concluiu o segundo grau na Escola Técnica de Comércio Centro Caixeiral. Mas, as suas maiores experiências aconteceram no Rio de Janeiro. Lá estudou, trabalhou e escreveu de forma frenética poesias, textos e crônicas. Também manteve contato com figuras importantes da música popular brasileira, da poesia e da política.

Ao retornar para o Maranhão, na segunda metade dos anos 80, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT), fundou a associação cultural em homenagem ao seu avô poeta Sebastião Cardoso Martins e o centro cultural vargem-grandense, lançou o pôster poema "Musa", publicou vários artigos em Jornais de São Luís e lançou a poesia "Apelo a Alcântara" a nível nacional. Joran também fez a primeira exposição de fotografias de Vargem Grande mostrando e relatando fatos de quatro décadas da cidade. Vale ressaltar que ainda hoje as imagens encontram-se preservadas.



Escreveu o Livro "Poesias Revolucionárias" no intuito de contribuir com um pouco do pensamento crítico social para as classes menos favorecidas que no futuro próximo socializarão esta terra chamada Brasil. Não podemos deixar de citar também o livro "Histórias e Estórias de minha Cidade", onde conta um pouco da história do município de Vargem Grande e publica fotos inéditas.

Nos seus últimos anos de vida trabalhava como bancário no Banco Bradesco, que assumiu o Banco do Estado do Maranhão após a privatização. Jether era funcionário público concursado desde o início dos anos 90.

Como todos sabem, Jether Joran foi brutalmente assassinado no ano de 2013 e o crime até hoje não foi devidamente explicado e/ou solucionado, mas isso não veio ao caso nesta publicação, pois o intuito era em contar um pouco do que o poeta produziu em vida e que ficará para toda a eternidade. Isso ninguém conseguirá apagar.

5 comentários:

  1. Quero aqui parabenizar o titular do blog, pelo belíssimo trabalho que foi contado neste resumo que foi a vida de luta do saudoso Jether Joran! Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Venho agradecer em nome da Familia Martins por essa linda homenagem. Obrigado

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pela homenagem e carinho em nome da familia martins agradeço.
    Obrigado

    ResponderExcluir
  4. Obrigada pela singela homenagem ao meu querido amigo e irmão. A justiça de Deus não falha,aos culpados o meu sentimento é de pena e tristeza.Os mortos não morrem assim como a consciência que pertubará para toda a eternidade quem cometeu ou mandou tirar a vida do nosso amado Jether Joran.E quanto a justiça dos homens nós não temos dinheiro e nem somos políticos para dá cargos em troca de justiça. Deus é maior.E tá dito.Breve lançaremos um livro que ficou só no ponto de publicar.O pássaro solitário,eu terei essa graça em prol a memória do nosso irmão.

    ResponderExcluir
  5. Agradecido pela homenagem ao saudoso cunhado e amigo.
    Hilário Ferreira . Cunhado e amigo

    ResponderExcluir